SOBRE NÓS

O Núcleo Teatro de Imersão é um grupo teatral de São Paulo, SP, que pesquisa e monta espetáculos de teatro imersivo em locais alternativos, específicos para a trama a ser contada. A companhia propõe novas relações entre ator e espectador, ao inserir o público no espaço da representação, em meio à cena representada, e ao fazê-lo circular pelo espaço ficcional, sem separação entre palco e plateia e cercado pelos personagens, pelo cenário, pelas sonoridades e aromas da cena. O objetivo do Núcleo Teatro de Imersão é fazer com que o espectador envolva-se com os personagens e emocione-se com a história como se estivesse testemunhando eventos reais, e não uma encenação. No período de distanciamento social, o Núcleo Teatro de Imersão tem realizado também experiências de teatro virtual,  criando espetáculos online que levam o espectador para dentro do mesmo ambiente virtual dos personagens. 

O Núcleo Teatro de Imersão iniciou suas pesquisas em 2014 e, no ano de 2017, estreou seu primeiro espetáculo imersivo, Tio Ivan, adaptação para a peça teatral O Tio Vania, de Anton Tchekhov, em cartaz por três temporadas na Oficina Cultural Oswald de Andrade e na Casa das Rosas, em São Paulo, em 2017, 2018 e 2019. A montagem foi premiada como Melhor Espetáculo de Grupo de 2018 do Prêmio Aplauso Brasil (júri popular).

 

Em 2020, o Núcleo Teatro de Imersão estreou As Palavras da Nossa Casa, encenação imersiva inspirada em obras de Ingmar Bergman, em cartaz na Casa das Rosas, em São Paulo, de janeiro a março. O espetáculo obteve lotação máxima em todas as sessões de sua temporada e, com a chegada da pandemia de COVID-19, ganhou versão online e ainda imersiva, realizada ao vivo, pelo Zoom, em duas temporadas (2020 e 2021), além de apresentação pela Conexão Casas de Cultura, nas redes sociais da Casa de Cultura de Santo Amaro, e pela Virada Cultural da Cidade de São Paulo.

Adriana Câmara
Adriana Câmara

DRT/PE  1.831  

 

Formada atriz pela Fundação Joaquim Nabuco. É mestre em Teatro pela Universidade do Rio de Janeiro (UNIRIO), graduada em Cinema pela Universidade Estácio de Sá (UNESA), licencianda em teatro pela Universidade Estadual de São Paulo (UNESP) e graduada em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em teatro, foi aluna de Matt Gray, Penny Cherns, Donna Berlin, William Hetherington, Holly Wilson e Jenny Tatam, na London Academy of Music and Dramatic Art (LAMDA); de Brian Penido e Guilherme Sant’Anna, no Grupo de Estudos do TAPA; de Eduardo Moreira (Grupo Galpão), de Antônio Cadengue (Companhia Teatro de Seraphim), de João Denys, Carlos Carvalho, Érico José, Marco Camarotti, Elisa Toledo-Todd, Luiz Maurício Carvalheira, José Manoel, Vavá Paulino, Isabel Concessa, Fernando da Mata Lima, Dinara Helena Pessoa, Arnaldo Siqueira, André Filho, Williams Santana, em diversos cursos.
É diretora, produtora e atriz do Núcleo Teatro de Imersão. É proprietária da empresa produtora Menina dos Olhos do Brasil.  Foi diretora, produtora, cenógrafa, figurinista, autora e atriz dos espetáculos do Núcleo Teatro de Imersão “Tio Ivan” (“O Tio Vania”), de Anton Tchekhov, em cartaz por três temporadas (2017, 2018 e 2019) e vencedor do Prêmio Aplauso de Melhor Espetáculo de Grupo de 2018 pelo júri popular, e “As Palavras da Nossa Casa”, em cartaz por três temporadas, sendo uma presencial (2020) e duas virtuais (2020 e 2021). Dirigiu as séries de TV “Sensacionalista” para o Multishow e “Nota 10” para o Canal Futura. Foi diretora assistente da série “Afinando a Língua”, do Canal Futura, e primeira assistente de direção do filme de longa-metragem “Desenrola”  e de diversas séries e programas de TV, como “Dia de Cássia” e “Claro que é Rock”, do Multishow, e “Quando Éramos Virgens”, do GNT. Foi coordenadora de produção da série “Recortes do Brasil-Pará”, do Canal Futura. Fez o roteiro, a direção, a montagem, a edição de som e a produção do filme de curta-metragem de ficção “1:21”, premiado como Melhor Filme do 15º Cine PE Festival do Audiovisual, Melhor Ficção do 18º Gramado Cine Vídeo, Melhor Curta Experimental, Melhor Som e Melhor Fotografia do 6º Fest-Aruanda do Audiovisual; Melhor Filme Experimental do 1º Festival de Cinema Curta Amazônia e participante de dezenas de festivais de cinema, no Brasil e no exterior. Atuou nos espetáculos "Chá em Casa dos Prosórov" ("As Três Irmãs"), de Anton Tchekhov, dirigido por Elisa Toledo Todd; "Agafya", de Anton Tchekhov, adaptado por William Hetherington e dirigido por Penelope Cherns; "Cordéis", dirigido por Luís Maurício Carvalheira; "Os Encarcerados" e "Sonho de Uma Noite de Natal", escritos e dirigidos por Gustavo Falcão; "Os Físicos", de Ernest Dürrenat, com direção de Eduardo Gomes;  "O Mundo é uma Bola", com direção de Eduardo Gomes. Atuou em  performances baseadas nos textos "Abajur Lilás", de Plínio Marcos; "Macbeth", de Shakespeare; "O Pássaro Azul", de Maeterlinck; "Calabar", de Chico Buarque de Holanda e Ruy Guerra; "Santa Joana", de Bernard Shaw; "Beijo no Asfalto", de Nelson Rodrigues; "Os Saltimbancos", de Chico Buarque de Holanda; "Computa, computador, computa", de Millôr Fernandes. 

Tem oito anos de experiência como professora em cursos universitários de Cinema e Audiovisual, Produção Audiovisual, Rádio e TV, e em cursos livres de audiovisual e teatro. 


 

Glau Gurgel
Glau Gurgel

DRT/SP 30091

Ator formado pela Escola Recriarte e bacharel em Música, com habilitação em canto, pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Atuou nos espetáculos “Tio Ivan” e “As Palavras da Nossa Casa”, do Núcleo Teatro de Imersão. Junto ao Núcleo Universitário de Ópera (NUO) e à Orquestra Filarmonia, atuou na opereta “O Mikado”, de Gilbert e Sullivan, na opereta “Os Piratas de Penzance”, de Gilbert e Sullivan, na opereta “Forrobodó”, de Floriano Peixoto e Chiquinha Gonzaga, em “A Ópera dos Três Vinténs”, de Bertold Brecht e Kurt Weil, e na opereta "Patience", de Gilbert e Sullivan, todas sob a regência do maestro Paulo Maron. Junto à Companhia Ciabata, atuou em “Assassinato no Bixiga, Quem Matou Arnesto?” e  “A Senhora que Fazia Tortas” , ambos escritos por Marcos Lopes. Foi protagonista do espetáculo “Noel Rosa, o Poeta, o Músico, Cronista de uma Época”, escrito e dirigido por Cybele Gianini, em três temporadas da peça. Integrou o ensemble do espetáculo “O Médico e o Monstro”, de Leslie Bricusse e Frank Wildhorn, dirigido no Brasil por Fred Hanson. Integrou o elenco de “Enlace – A Loja do Ourives”, baseada na obra de Karol Wojtyla - Papa João Paulo II - com música de Thiago Gimenes e direção de Roberto Lage. Participou como ator e cantor da ópera “O Morcego”, de Johann Strauss, dirigida por Mauro Wrona. Atuou no espetáculo “Guarde para os Dias de Chuva”, escrito e dirigido por Júlio Adamanto.  Foi assistente de direção do diretor Mauro Wrona na ópera “Salomé”.  Foi produtor executivo do Festival de Ópera do Theatro da Paz da edição XII à XVI, de 2013 a 2017.

Gizelle Menon
Gizelle Menon

DRT 43.191/SP

Formada em Teatro Profissional pela Teatro Escola Macunaíma, pós-graduada em Comunicação e Marketing pela ESPM;, graduada em Comunicação (Relações Públicas) pela FIAM. Participou da Oficina Grandes Dramaturgas, da FUNARTE (Malditos Dramaturgos). Participou dos grupos de estudos do Teatro Ágora e do Grupo TAPA, da Oficina da Cia Bará para a Trilogia da Terra e da Oficina de Interpretação com Denise Weinberg. Atuou no espetáculo “As Palavras da Nossa Casa” (2020 e 2021), do Núcleo Teatro de Imersão. Atuou também nos espetáculos “Os Miseráveis”, de Victor Hugo, com direção de Gabriel Veiga Catellani; “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, “Terra em Transe”, “A Idade da Terra”, adaptações dos  filmes de Glauber Rocha dirigidas por Diego Gonzalez na Cia Bará;  “A Dona da História”, de João Falcão; “Piscina Sem Água”, de Mark Ravenhill; “Bloody Muriel”, de Ricardo Leitte, dirigida por Ariel Moshe; “Revolução na América do Sul”, de Augusto Boal; “O Diário de Anne Frank”, traduzido por Antonio Mercado e Miriam Mehler. Fez Intervenção Teatral com bailarinos da Quadrela Cia de Dança, no projeto "Entre Imagens, Sons e Movimentos" (Dança Contemporânea), direção conjunta com Roberto dos Santos e texto autoral. Pratica Dança do Ventre e Jazz, entre outros ritmos dançantes.

Hernani Rocha
Hernani Rocha

Formado em Desenho Industrial (Habilitação Programação Visual) pela Universidade Mackenzie. Formado Técnico em Publicidade pelo Colégio Castro Alves. Frequentou o Curso de Ilustração da Escola Panamericana de Artes. É programador visual do Núcleo Teatro de Imersão e de todos os seus espetáculos: “Tio Ivan”, “As Palavras da Nossa Casa”. Fez as fotografias, a captação em vídeo e a assistência de cenografia dos espetáculos “Tio Ivan” e “As Palavras da Nossa Casa”, e, atualmente é cenógrafo do grupo.  Atuou como Diretor de Arte, Designer Gráfico e Ilustrador em diversas empresas, entre elas: Editora Scipione, Lojas Camicado, LEN Design e Elmac Publicidade. Foi autor das vitrines da fachada do Shopping Paulista no Projeto “São Paulo Passa por Aqui”, realizado em conjunto com as revistas Gula, Revista da Folha e Bricolagem. Fez o design gráfico e as ilustrações da coleção de livros Música em Família composta dos títulos “Para Sempre”, “Receita de Felicidade”, “Movimento”, “Um para o Outro” e “O que Nós Somos Juntos”. É diretor de arte da empresa Tribo d’Arte.

Letícia Alves
Letícia Alves

DRT/SP: 0047616

Formada como atriz e arte-educadora, bacharela e licenciada, pela Universidade Anhembi Morumbi. Formada também em dança criativa na Anhembi Morumbi, dança de salão pelas Fábricas de Cultura, e dublagem, pelas escolas Herbert Richards Jr. e BRAAPA. Estudou também canto coral e circo. Trabalhou no espetáculo “Tio Ivan” (2017, 2018, 2019), do Núcleo Teatro de Imersão, como contrarregra, assistente de palco e assistente de direção. Trabalhou como atriz em “Eles não Usam Black-Tie”, de Gianfrancesco Guarnieri, dirigido por Deborah Serretiello; em “Um Bonde Chamado Desejo”, de Tennesse Williams, dirigido por Renata Zhaneta; em “Borandá”, de Luís Alberto de Abreu, dirigido por Simone Boer, e em “O País Está Consternado”, de Matei Visniec, dirigido por Marcelo Braga. Atuou na web série “Fala Sério”, dirigida por Juliana Regis Cabral. 

Dayane Isabela

Formada em Produção Audiovisual pelo FIAM FAAM e em Publicidade Digital e Interativa pelo SENAC.  

 

Foi assistente de palco e anfitriã do espetáculo "As Palavras da Nossa Casa" (2020 e 2021), do Núcleo Teatro de Imersão. 

 

Foi assistente de arte da STM Propaganda, atendimento da Just Trade Marketing; técnica audiovisual da SIM SP 2019; e apoio-acolhimento do Carnaval de Rua de SP 2020. É produtora executiva, diretora de produção e assistente de direção da Moqueca Filmes.

Samue Luz
Samuel Luz

DRT/SP: 9332

Formado ator no Curso de formação atores do SESC Santos e no Curso de formação de atores Emilio Fontana – São Paulo. Bacharel em comunicação social – Marketing e Propaganda, pela UNISANTOS. Atuou no espetáculo “Tio Ivan”, do Núcleo Teatro de Imersão. Atuou nos espetáculos “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto, dirigido por Waldirez Bruno;  “Guernica”, releitura do texto de Fernando Arrabal, dirigido por Waldirez Bruno; “Eles Não Usam Black Tie”, de Gianfrancesco Guarnieri, dirigido por Emilio Fontana; “O Noviço”, de Martins Pena, dirigido por Neide Veneziano; “Revistando o Teatro de Revista”, escrito e dirigido por Ney Veneziano e Perito Monteiro; “A Farsa”, de Miguel Marcarian, dirigido por Washinton L.Gonzales. Participou dos Festivais Nacionais de Teatro de Blumenau, Tatuí e São José do Rio Preto. Atuou também nas novelas “O Outro Lado do Paraiso” (direção Mauro Mendonça Filho – Rede Globo), “Tempo de Amar” (direção de Jayme Monjardim – Rede Globo), “Pega Pega” (direção de Luiz Felipe Sá, Rede Globo), “Era Uma Vez uma História” (direção de Carlos Araújo, Rede Band), “Novo Mundo” (direção de Vinicius Coimbra, Rede Globo), “Cúmplices de um Resgate” (SBT), “Totalmente Demais” (Rede Globo). Atuou nas séries de TV “Assédio” (direção de Amuara Mautner, Rede Globo/Netflix) e “A Cara do Pai” (direção de Fabrício Mamberti, Rede Globo).